“Tempo, tempo. Mano velho.”

Há pessoas que não guardam nada. Deixam os sapatos na sala, o leite fora da geladeira, a mágoa no supermercado e a raiva no último assento do ônibus.

Para aquelas que guardam tudo: as dores milimetricamente enfileiradas e as frustrações pela cor, é necessário o tempo.

Tempo-tempo.

É preciso guardar fora algumas coisas. Mas insistimos em guardar por dentro. Viramos do avesso e essa pataquada sentimental continua lá, se embrenhando nas nossas dobras.

Mas o tempo vai descolorindo essa coisa toda, tão boba. Tudo então, tão importante: irrelevante.

______

Lulups tem um álbum de figurinhas bem cheio de vergonhas.

 

Anúncios

3 Comments Add yours

  1. Luiza diz:

    Ohn! Vocês são os mais queridos. =) Obrigada por me acompanharem aqui.

  2. Francisco diz:

    Que texto lindo! É uma poesia em prosa.

  3. Victor Fisch diz:

    Que maravilha!

    *Victor Fisch* fischvictor@gmail.com +55 11 9 8558 7795 http://www.trapezio.art.br

Deixe um comentário! =)

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s