Contando um pouquinho.

As novidades estão capengas. Capenguíssimas, eu sei. Ouvi dizer que essa tal de Lulups nunca mais atualizou blog nennhum e o mês já muda depois de amanhã e não restou nada nessa casa meio velha, meio nova.

Mas, desse meu jeitinho meio feio, meio desajeitado e confuso, um tanto inseguro, vou desenhando a vida devagarinho. Tão devagarinho como é o jeito que eu ando, leio, escuto.

Andei um bocado por aí nesses últimos dias. Andei para cima e para baixo em um lugar difícil e lindo. Em cozinhas quentes com pessoas hostis e outras tantas geladeiras com pessoas amorosas. Fiquei horas em pé em salões de cafés da manhã e em almoços de pessoas famintas e apressadas. Mimei nenês e passei o dia das mães sem ver a minha.

Quando desci no ponto de ônibus em uma segunda-feira, há duas semanas, no meio da R. da Consolação, me perguntei um milhão de vezes se era isso mesmo. Depois de tantos trens, metrôs, estações, sonos e maus humores, atravessei a faixa de pedestres e segui o caminho escolhido, mais uma vez com o medo apertando o meu pescoço.

Mas a verdade é que eu já vinha ensaiando esses passos. Deixei para trás a #vidaloca que eu precisei experimentar e adentrei um portão que fica sempre aberto para receber amigos, em uma casa que nasceu bonita e sorridente, a Casa Viva de Bill e Júlia.

HallEntrada

Ali, montamos a morada-escritório desse prjeto novo, o http://www.biagoll.com.

Estou feliz com ele. A caminhada continua longa, a rotina menos intensa, mas igualmente puxada. São Paulo pode ser linda e a Av. Paulista um tesão, mas as obras da cidade tem transformado tudo em grandes trincheiras de concreto e esticado a jornada em três horas diárias. É duro, é dose. Chega a ser desesperador em alguns momentos, mas eu ainda vou dar um jeito nisso.

2015-05-26 22.06.39A rotina de cozinhar melhorou um tanto. Agora tenho mesmo ido para cozinha pelo menos uma vez por semana. Nos últimos dias saiu por aqui uma torta de legumes, inspirada no canal Le Plat du Jour, da Uiara, no youtube, e um bolo de cenoura aplaca-desejo que ficou óquei.

E ontem, finalmente, entendi porque escolhi a vida nova. Depois de dois anos e meio presa de 10 a 12 horas diárias em um lugar lindo, esqueci que dava para conhecer outras coisas e ver que a vida bomba por aí. Arrematei na sexta-feira uma visita – ainda que de negócios – na Casa das Rosas e outra – também à trabalho – no Urbe Café que eu queria tanto, tanto visitar.

Tenho saudades de tantas pessoas ali do Café da Casa. Mas ele continua lá! Isso já é uma coisa linda. Ontem foi um dia alegre também porque recebi abraços e boas notícias que vieram de lá. E hoje, olha só, uma ligação tão rara quanto alegre de uma cliente antiga que me ligou para dividir achados.

Por hora é só, pessoal. Fiquem com as rosas.

2015-05-29 08.24.36

Imagens: Casa Viva – Acervo Bia Goll (fotógrafa – Adriana Guivo) | Tartatoille – Acervo pssoal | Rosas – Acervo Pessoal.

___________________________________

Lulups caminha devagar porque assim dá tempo de olhar.

Anúncios

Deixe um comentário! =)

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s